domingo, 11 de dezembro de 2011

Arquitetura na Idade Média

Este período caracterizou-se pela forte presença clerical, ou seja, o domínio da Igreja (o maior senhor feudal de toda a Idade Média), em todas as atividades sócio, econômicas, políticas e culturais. E a arquitetura não ficou fora disso...
Como a população em geral no Feudalismo não tinha acesso aos livros, e o conhecimento era resguardado apenas aos nobres...Bem, a Igreja era responsável pela contratação dos artistas (construtores, arquitetos, marceneiros, carpinteiros, escultores, pintores, decoradores, etc).
E como diz o ditado - "manda quem pode, e obedece quem tem juizo!"; nesse período a arquitetura se destacou pela construção de várias igrejas e castelos. 
Muitas das atividades intelectuais e culturais se desenvolveram à partir dos pequenos mosteiros. Um bom exemplo disso foi a ilustração dos manuscritos e a pintura dos afrescos. Os motivos usados pelos pintores eram sempre de natureza religiosa - a criação do homem e do mundo, o pecado de Adão e Eva, a arca de Noé, Jesus Cristo e a Bíblia.
O estilo românico foi o mais marcante na arte e na arquitetura medieval. Na arquitetura, destaca-se a Abadia de Cluny no ano de 910 d.C, em Borgonha, França.


As características que mais se destacam na arquitetura românica são:

- Substituição do teto de madeira por abóbadas;
- Grande espessura de paredes e pouco número de janelas;
- Construção de grandes pilares de reforço, internos e externos às paredes, para sustentação das abóbadas e da edificação em si;

- Construção de arcos por meio de arquivoltas (molduras em arcos ornamentadas), na entrada das edificações;
- A planta das Igrejas eram dispostas em forma de cruz, no qual eram distribuídas várias naves que se interligavam.



Normalmente na entrada principal das Igrejas Românicas, existe um óculo (abertura circular para passagem de iluminação e ventilação);

- A construção em pedra destacando a monumentalidade horizontal, a fortaleza, e o "poder da Igreja";
- Forte presença de elementos decorativos (pintura e escultura) internos e externos, em portas, capitéis, colunas, pilares e abóbadas das naves;

- Castelos contendo uma fachada principal, formado por um espaço cúbico central, que normalmente é dividido por duas grandes torres verticais de vários pavimentos, tendo seu teto finalizado em forma de coifa.



P.S.: Algumas dessas características do estilo românico, se repetem também no estilo gótico, que veremos mais adiante....






Nenhum comentário:

Postar um comentário